Cenas Memoráveis - Especial Matrix

É isso aí, especial Trilogia Matrix. Por que? Porque eu quero! :P

The Matrix (1999)

O primeiro Matrix foi um marco para o cinema que conhecemos hoje. Trouxe coisas boas e coisas ruins e infelizmente, nos "filhotes" que gerou, as ruins se sobressaíram. É que não bastava copiar o efeito "bullet-time". Tinha que ter conteúdo, e isso, a história criada pelos Irmãos Wachovsky tinha de sobra. Tudo bem, é uma colagem de várias fontes diferentes: animês, literatura de ficção científica, quadrinhos, música, religião, filosofia e mais um sem número de inspirações. Mas isso não diminui a importância do filme.

A cena a seguir é a abertura de Matrix, com Trinity escapando dos Agentes. Por que essa sequência é memorável? Simples. Em menos de 5 minutos, o filme já diz a que veio, com uma perseguição de tirar o fôlego, uma prévia do que seria o efeito pelo qual se tornou famoso, cenas de lutas coreografadas brilhantemente e uma homenagem a "Um Corpo Que Cai" de Alfred Hitchcock. Não é pra qualquer um.

Uma curiosidade: para apresentar a proposta de Matrix aos executivos da Warner, os Wachovsky precisavam mostrar o que eles tinham em mente, e que provavelmente sem uma referência visual clara, garantiria um sonoro "NÃO!" a eles. Pra isso, chamaram dois desenhistas de quadrinhos (Geof Darrow e Steve Skroce) para criarem os storyboards de algumas cenas. Porém, como os irmãos vinham do mundo das comic books (eles roteirizavam gibis no começo dos anos 90), foram bem claros quanto ao estilo dos storyboards, geralmente apenas um guia para o diretor de fotografia. Eles queriam algo na linguagem dos quadrinhos, pois assim poderiam ser mais diretos na hora de explicar as cenas. Cada página realmente se encaixaria facilmente numa Graphic Novel, com traços perfeccionistas e até as típicas onomatopéias. E, era tão HQ que os irmãos proibiram a utilização de setas, comuns em storyboards pra indicarem movimento de câmera ou personagens.

Continua...
 
Copyright (c) 2010 Blogger templates by Bloggermint