Danielle Brisebois, o Rocky Balboa das cantoras pop

Quando somos adolescentes apaixonados por alguns discos e começamos a arranhar os primeiros acordes no violão, por algum tempo acreditamos que basta ter talento e escrever músicas tocantes para o sucesso vir. “Foi assim com os Beatles, certo?”. Infelizmente, com o passar do tempo, e conhecendo histórias do mundo da música, fica claro que as coisas não funcionam exatamente dessa maneira. Tudo fica mais claro ainda ao ligar o rádio ou sintonizar o top 10 da MTV.

No primeiro ano de faculdade, conheci um cara que era excelente compositor. Ouvia só rock antigo, blues e música instrumental e clássica. Dominava seu velho violão como poucos guitarristas posudos dominam suas guitarras e escrevia músicas com melodias cativantes. Ele devia fazer sucesso, suas músicas deviam tocar nas rádios locais da cidade, mas nessa época, início da década de 2000, o techno-brega (se não sabe o que é, não queira saber) começava a explodir como uma epidemia que dominava a região norte do país.

Aconselhei a ele escrever músicas para artistas que já estivessem na mídia. Ele tentou fazer isso por um tempo, e também tocou em bandas de baile, com repertório de músicas famosas para animar qualquer ocasião. Hoje em dia, estuda para concursos. Moral da história: ser um ótimo "singer-songwritter" não é garantia de sucesso no meio musical.

Essa, aparentemente é a sina de Danielle Brisebois. Americana do Brooklyn que lançou seu primeiro disco (Arrive All Over You) em 1994, quando tinha 25 anos, com créditos de compositora em 9 das 11 faixas. Trata-se de música para quem sente saudade do que eu chamo de “pop sincero”. Músicas que você percebe que nascem a partir de um sentimento, e não de um objetivo. A influência do rock dos anos 90 também é evidente, dando a mistura da doçura do vocal de uma garota à rebeldia emotiva de momentos mais “rasgados”.

O disco já continha o que se pode chamar de “o hit” de Danielle: a faixa Just Missed the Train, regravada uma década depois por Kelly Clarkson – cantora que se tornou famosa depois de ter vencido a primeira edição do American Idol. Aí chegamos na ironia do destino: Just Missed the Train emplacou na versão “pop rock explosiva” de Kelly Clarkson, em um remake produzido pela própria Danielle Brisebois, que passou a atuar como compositora e produtora para outras cantoras, incluindo a própria Kelly, Kylie Minogue e até Donna Summer.

Em 2008, Danielle lançou um segundo álbum (Portable Life, que na verdade devia ter sido lançado em 1999!), deixando um pouco mais de lado a pegada rock, mas mantendo a riqueza de seu vocal “jovial” (reparem nas sobreposições de vozes em várias partes, com uma delas sempre soando como “voz de garotinha”, dando um efeito delicioso, como na música Temporary Like the Rain), e arranjos simples, e por isso mesmo contagiantes. É a música sem super-pirotecnias, pop, melódica e sincera. Um disco que não foi feito para emplacar, mas sim para, aparentemente, satisfazer as necessidades artísticas de uma compositora que fabrica sucessos para outras.

Mas quem é Danielle Brisebois? Já que estamos em um blog cujo grande foco (convenhamos, Alexandre...) é cinema e seriados, olha só a coincidência: A moça começou sua carreira como atriz-mirim em um seriado chamado All In The Family. Depois disso, ainda fez alguns filmes (veja aqui um vídeo dela bem ninfeta aos 18 anos, dando entrevista sobre um filme em que atuou), e acabou entrando na carreira musical, sempre ao lado de ninguém menos que seu eterno parceiro Gregg Alexander. Não sabe quem é? Lembra desse cara cantando aí no vídeo?


Então, olha aquela moça na percussão. É a Danielle. Sim, ela foi integrante do New Radicals, um dos maiores one-hit wonders da década de 90 (apesar de esta música que escolhi ser o "hit two", e último, da banda). Gregg foi co-autor de várias músicas com Danielle, e produziu seus dois álbuns. Depois da morte do New Radicals (que ele decidiu encerrar devido a não ter suportado toda a rotina que envolve fazer parte de uma banda famosa), a dupla continuou trabalhando em conjunto produzindo novas cantoras e compondo músicas em parceria aqui e ali.

E não é que, mesmo fora dos holofotes, Danielle alcançou o reconhecimento artístico? Em 2009, ela foi premiada com vários BMI Awards pela música Pocketful of Sunshine, escrita por ela para a cantora Natasha Bedingfield. Em uma rápida entrevista sobre a premiação (vídeo aqui), ela comentou justamente essa questão de sempre ter buscado tanto isso, durante uma carreira fora dos padrões, e finalmente ter alcançado. Uma espécie de Rocky Balboa das cantoras pop. :)

Os discos de nossa heroína podem ser comprados atualmente via iTunes Store. Cada um deles traz uma versão da música Just Missed the Train, com diferentes arranjos para diferentes fases da vida da cantora. Além dessa bonita música, todas as outras faixas merecem ser ouvidas por quem busca sons agradáveis em meio à competição desenfreada por atenção nas prateleiras de lojas de discos.

Site oficial

Continua...

The Amazing Spider-Man ganha novas imagens promocionais

Os banners estão expostos na New York Comic-Con. Confira.




The Amazing Spider-Man estreia em julho de 2012.
Continua...

Primeiro pôster do filme Os Três Patetas

O longa adapta para as telonas o popular trio de comediantes. Sean Hayes, Chris Diamantopoulos e Will Sasso estarão nos papéis de Larry, Moe e Curly, respectivamente. A direção do longa está nas mãos dos Irmãos Farrelly de Quem Vai Ficar Com Mary?, Débi & Lóide, entre outros.

A estreia deve acontecer em abril de 2012.
Continua...

Documentário do Dia: O Lado Sombrio de Walt Disney

O documentário abaixo procura "revelar" as inclinações obscuras de Walt Disney, mostrando suas tendências racistas, anti-semitas e machistas, numa época em que aumentava o ódio contra comunistas e outras minorias, fossem baseadas em ideologias políticas ou religiosas.

O vídeo, obviamente, mostra apenas o lado ruim da questão, esquecendo que nos anos 40 a mentalidade era outra, o politicamente correto era um absurdo e ninguém estava muito preocupado com rejeição por conta de alguma piada ofensiva. Assista o documentário com uma visão ampla e não se deixe levar por todos os pontos levantados pelo texto.











Continua...
 
Copyright (c) 2010 Blogger templates by Bloggermint